O que é Earned Paid Owned Media?

O que é Earned Paid Owned Media?

Quando pensamos na abordagem ao Digital, e antes de fazer seja o que for, pensamos na estratégia.

O que pensar para construir a estratégia de Digital?

  • Quem queremos impactar com a nossa comunicação?
  • Onde andam os nossos potenciais Clientes?
  • Qual a nossa proposta de valor diferenciadora?
  • De que recursos dispomos?

Estas são algumas das perguntas que temos de colocar. Quando as respostas começam a aparecer, dando origem a ações concretas, é preciso organizá-las.

E o modelo Earned Paid Owned Media é uma boa forma de o fazer.

Como funciona?

Earned Media

A comunicação por parte de terceiros, que conquistámos. Por termos algo a dizer, outros fazem referência a nós, sem lhes pagarmos por isso. É exemplo disso as referências em publicações online.

Paid Media

A comunicação em espaço comprado. Sob a forma de anúncios online em sites, resultados de pesquisa, redes sociais, email Marketing, entre outros.

Owned Media

A comunicação nas nossas plataformas, ou em plataformas de terceiros, onde estamos de forma orgânica. O nosso site é o melhor exemplo. Mas também a nossa página em redes sociais ou no Google MyBusiness.

A que temos sempre de assegurar é a Owned Media.

Fazer uma campanha de publicidade que não esteja refletida no site da empresa faz com que não se possa tirar máximo partido de todas as possibilidades.

Já a Earned é obviamente a mais difícil, por depender de outros e poder demorar algum tempo até aparecerem resultados.

As efemérides nos conteúdos

As efemérides nos conteúdos

Hoje é Dia de São Valentim. O que me fez lembrar o uso das efemérides nos conteúdos, principalmente em redes sociais. Faz sentido… ou nem por isso?A minha resposta? Depende, o que já vai sendo um hábito ?

As efemérides são uma ótima fonte de inspiração para gerar conteúdos novos diariamente.

No entanto, quando usadas sem uma ligação à marca, fazem pouco por ela. A chamada relevância, que se aplica aos nossos Clientes mas também às nossas marcas.

Por isso, quando pensar que efemérides acha interessante usar, pense também. O que posso criar, ligado a estas efemérides, que só poderia ser eu a dizer?

Esse é o caminho. Não é fácil mas no final é o que irá garantir coerência, alinhamento com o seu posicionamento e recordação dos seus conteúdos. E desse lado, efemérides para conteúdos, Sim ou Não?

Os seus conteúdos são Mobile First?

Os seus conteúdos são Mobile First?

O digital trouxe uma série de formas diferentes de aceder a conteúdos. Podemos ver a mesma coisa num ecrã grande, tablet ou smartphone. E tem de funcionar em todos… o que nem sempre acontece.

Quem nunca entrou num site, que não se consegue usar num telemóvel, que atire a primeira pedra ?

É muito comum acontecer. Até em grandes empresas. Afinal, tudo aparece lindo e maravilhoso, num enorme ecrã. De pouco servirá se não tiver leitura ou utilização num telemóvel, o principal aparelho no qual se acede a sites nos dias que correm.

E não tendo leitura, o nosso amigo Google não irá gostar nada do site… e, claro, a relevância vai ficar comprometida, por culpa da experiência do utilizador.

Por isso, quando pensar no seu site, e nos conteúdos que publica, pense sempre – São Mobile first?

Para ver em versão mobile, é muito fácil!

  • No computador
    Clicar com o botão direito do rato no site e aceder a Inspect ou Inspecionar. Pode ver como fica numa série de aparelhos diferentes
  • Configurar a Google Search Console
    O Google diz-lhe se as páginas são Mobile friendly

E os seus conteúdos são Mobile first? Se pensou Não sei, já sabe o que fazer!

O que é o AIDA?

O que é o AIDA?

AIDA é um modelo que foi criado com o objetivo de identificar as várias etapas da viagem do Cliente, desde que toma conhecimento de uma marca, até que compra um dos seus produtos ou serviços.

E para que serve o modelo AIDA?

É diferente comunicar para alguém que não nos conhece de todo. Ou para alguém que nos conhece, mas não sabe bem o que fazemos. Ou para alguém que já nos comprou algo. É para isso que serve o modelo AIDA.

Para criar mensagens específicas para cada grupo de pessoas, dependendo da etapa em que estão, em relação à nossa marca.

AIDA é a sigla para:

  • A – Attention/Atenção
    Captar a atenção do público-alvo. Uma boa mensagem criativa é essencial, para que a marca/campanha fique na mente
  • I – Interest/Interesse
    Gerar consideração. A mensagem deve focar-se no problema do Cliente que nos propomos resolver
  • D – Desire/Desejo
    Criar desejo de compra. A mensagem é Como o meu produto resolve o teu problema
  • A – Action/Ação
    Compra. A mensagem é tática, de oportunidade e forte apelo à ação

O meio digital permite criar campanhas bem segmentadas, com as quais podemos comunicar a mensagem certa, à pessoa certa, no momento certo. E o modelo AIDA dá uma ajuda a estruturar ideias e sistematizar mensagens e execuções criativas.

Ao AIDA também se junta o S, de Satisfaction.

Esta nova etapa pretende potenciar a satisfação de Clientes, dando-lhes um palco planeado para partilharem a sua experiência. Exemplo disso é o pedido de reviews públicas ou partilha nas redes sociais, após uma compra.

Aplique o modelo AIDA ao seu negócio!

Pense nas mensagens de comunicação para cada uma destas fases e como pode colocar a mensagem certa no momento certo, à frente do Cliente certo.

Como fazer os Mínimos Olímpicos de SEO

Como fazer os Mínimos Olímpicos de SEO

Já falei do que é SEO e o que pode fazer pela visibilidade do seu site. Para dar uma ajuda mais concreta, fiz uma lista do que chamei os Mínimos Olímpicos de SEO.

Este não é um artigo de SEO avançado. Sem ser demasiado redutor, é para empresas que pretendem ter algumas dicas para melhorar a visibilidade do seu site.

Quais são os Mínimos Olímpicos de SEO?

Saber o que as pessoas procuram

Muitas empresas têm tendência para escrever de forma formal, para terem uma abordagem que consideram mais profissional. No entanto, a maioria das pessoas não fala dessa forma. E quando procura informação online, procura com termos comuns.

Por isso, se as palavras que usa no seu site não forem as que as pessoas usam, será mais difícil que o site apareça nos resultados da pesquisa.

  • Use ferramentas para saber exatamente o que as pessoas procuram, relacionado com os seus produtos e serviços
  • Pode usar o Keyword Planner da Google ou o Ubersuggest, ambas de uso gratuito
  • Faça uma lista dessas palavras que são importantes para o seu negócio

Ter o site seguro

Já reparou num cadeado na barra do endereço do browser? Isso significa que o site tem um protocolo de segurança, ou seja, que as comunicações transmitidas entre o dispositivo do utilizador do site e o destino são encriptadas.

O Google privilegia sites seguros nos seus resultados. Por isso, se o seu site não for, será penalizado nos resultados das pesquisas.

  • Fale com o seu gestor de domínio e compre e instale um certificado de segurança HTTPS

Ter uma estrutura de páginas lógica e consistente

O website é composto por páginas. Que podem estar dependentes umas das outras, numa espécie de organigrama.

Por exemplo, se tem um menu de topo Serviços, e páginas para cada serviço, a estrutura do site, e respetivos urls, deve ser:

Homepage (www.xpto.pt)

                Serviços (www.xpto.pt/servicos)

                               Serviço 1 (www.xpto.pt/servicos/servico_1)

                               Serviço 2 (www.xpto.pt/servicos/servico_2)

                               Serviço 3 (www.xpto.pt/servicos/servico_3)

Ao ter uma estrutura lógica, o Google vai entender melhor o seu site e dar resultados de forma consistente. Além disso, também irá considerar que o site tem qualidade, o que também melhora a posição.

  • Veja todas as páginas do seu site e verifique se cumprem esta estrutura
  • Se não cumprem, reveja a estrutura de páginas no back-office

Nota: ao rever a estrutura, o url da página é alterado – veja o ponto Redirecionar

Ter urls curtos

Aqui a regra é – Quanto mais curto, melhor! O Google privilegia páginas com urls curtos, dando-lhes melhores posições. Não existindo um número mágico, considere entre 50 e 60 caracteres, no total.

Pode cortar artigos e palavras de transição e deixar ficar somente as palavras principais, que dão sentido ao conteúdo da página.

  • Veja todas as páginas do seu site e verifique se cumprem esta regra
  • Se não cumprem, reveja os urls

Nota: ao rever o url, este é alterado – veja o ponto Redirecionar

Redirecionar páginas apagadas ou com urls revistos

Muitas vezes percebemos que determinadas páginas já não fazem sentido no site e apagamo-las.

Voltando ao mundo real, imagine que fecha a sua loja e não diz nada a ninguém – os seus visitantes irão lá e ficar zangados por baterem com o nariz na porta, certo?

O Google também fica zangado. Por isso, sempre que apagar páginas, ou alterar o url da página, o que acontece é que o Google não percebe logo. E continua a mostrar a página nos seus resultados.

Quando a pessoa clica para visitar a página, vê uma mensagem de erro e o Google recebe esse erro. Quanto mais erros um site enviar ao Google, menos confiança transmite. E isso tem reflexo nos resultados das pesquisas.

Então, o que precisamos de fazer é dizer ao Google qual a morada nova da página. Para que ele mostre às pessoas a nossa casa nova.

  • Use uma ferramenta de redirecionamento no back-office (se o site estiver feito em WordPress, por exemplo, existem plug-ins que pode instalar)
  • Coloque o url antigo da página e indique o url novo que deve ser considerado
  • Caso não tenha conteúdo idêntico, redirecione para outra página que faça sentido (não necessariamente para a homepage)

Criar conteúdo relevante

Conteúdo é texto, imagem ou vídeo que pode criar, para o seu site. E que deve dar resposta ao que as pessoas pesquisam, relacionado com o que vende.

Além disso, ao criar conteúdo relevante, vai estar a manter o seu site vivo. O que diz ao Google que vale a pena ir passando por lá, pois tem sempre coisas novas para mostrar.

  • Crie conteúdos que respondam ao que as pesssoas pesquisam
  • Assuma o compromisso – se só consegue criar um novo conteúdo por mês, assim seja, mas mantenha a consistência
  • Deixe as palavras-chave fluir no texto – não se esqueça que escrevemos para pessoas!
  • Inclua as palavras-chave no url e nos títulos do conteúdo
  • Em imagens, preencha um campo chamado Texto alternativo ou alt-text, no back-office do site. Desta forma, o Google “lê” corretamente a imagem e considera-a também nos resultados das pesquisas
  • Não faça frases e parágrafos demasiado longas e inclua listas
  • Faça uma estrutura de títulos e sub-títulos e categorize dessa forma no back-office do site (Header 1, Header 2, Header 3…)

Registar o site noutros sites

Quanto mais ligações criar para o seu site, melhor. Há ligações mais importantes do que outras. E que podem ser conseguidas com o ponto anterior, pois ao criar conteúdos pode ter outros sites a referi-los, através de um link.

  • Pesquise diretórios da sua área de negócio e registe a sua empresa, adicionando o site
  • Abra conta de empresa no Google MyBusiness
  • Tenha páginas em redes sociais e seja ativo… mas não abra conta em todas as redes, se não vai ter tempo para as gerir)

Estes mínimos olímpicos de SEO podem parecer complicados de início. Respire fundo, e veja os pontos um de cada vez. Vai ver que tudo se torna mais simples à medida que vai fazendo.

E como sabe se todo este esforço de SEO está a valer a pena?

Há várias formas de saber. Mas, a mais imediata é se a sua posição nos resultados de pesquisa melhorar. Ou seja, as suas páginas subirem posições nos resultados do Google.

Para saber isso, tem de ter uma conta de análise de dados (como o Google Analytics) que lhe mostra, ao longo do tempo, a sua posição média nos resultados de pesquisa.

Finalmente, mas não menos importante!

O SEO não é um sprint… é uma maratona. Implica um trabalho continuado, cujo esforço nem sempre tem um resultado imediato. Mas bem feito, e de forma progressiva, faz muito pelo seu site.

Se tiver dúvidas na concretização, envie-me uma mensagem ou deixe um comentário. Até já!

O que é SEO e como pode ajudar o seu website

O que é SEO e como pode ajudar o seu website

O SEO (ou otimização para motores de pesquisa) é o conjunto de medidas que se tomam num website, com o objetivo de lhe dar mais visibilidade.

Muito se escreveu, e escreve, sobre isto. O meu objetivo, como em tudo o que partilho, é simplificar a linguagem e torná-la acessível a todos. Para que qualquer pessoa, que tenha uma empresa, possa entender o essencial de SEO e implementar medidas concretas.

O que é isto de dar mais visibilidade ao site?

O site é a loja virtual das empresas. E tal como é preciso uma loja ter uma morada, e esta ser divulgada para obter mais visitas, também o site precisa de levar pessoas a visitá-lo.

Imagine que tem uma loja no meio do Alentejo, em que:

  • nenhuma estrada lá vai dar
  • não tem nenhuma tabuleta a indicar o caminho
  • não disse a ninguém que tinha aberto a loja

Dificilmente a sua loja vai ter visitantes, certo?

É o mesmo com um site. Por isso, o objetivo do SEO é garantir que, antes de tudo o resto, o website consegue ser encontrado.

Mas encontrado por quem?

No final, por pessoas que tenham interesse nos nossos produtos e serviços. São chamadas do nosso Público-Alvo.

Mas, antes disso, pense em quando precisa de encontrar alguma informação. Qual é a primeira coisa que faz? Se respondeu “Vou ao Google”, é o comportamento da maioria das pessoas online.

Claro que há outras formas de encontrar informação. Mas, em Portugal, mais de 90% das pessoas, que procuram informação online, começam pelo Google.

Por isso, para dar mais visibilidade a um website, é preciso começar por garantir que o Google gosta dele. O que é o mesmo que dizer que tem de o saber ler.

O Google é um programa. Ou seja, não lê como nós

Por detrás do Google, está um algoritmo muito avançado, do qual não se sabe tudo.

Mas não se assuste!

Não precisa de perceber nada de algoritmos para fazer os mínimos olímpicos de SEO.

O Google lê código, lê texto e lê a estrutura do site. E quanto mais conseguirmos otimizar tudo isto, mais o Google vai gostar do seu site.

Mas otimizar em relação a quê?

Como disse antes, queremos que os nossos potenciais Clientes nos encontrem. Não fazemos questão que todas as pessoas nos visitem – somente aquelas que têm genuíno interesse em nos conhecer. E, de preferência, nos comprar algo.

Por isso, queremos que as pessoas que procuram algo relacionado com o que oferecemos, nos encontrem.

E como sabemos o que as pessoas procuram?

O Google funciona por palavras-chave. Ou keywords. Quando escrevemos o que queremos saber na homepage do Google, ele procura nos seus registos todas as páginas web que possam estar relacionadas com a pesquisa que fizemos. Dá-lhes uma ordem de importância e apresenta os resultados, numa fração de segundos.

O que as empresas querem é que as suas páginas web apareçam o mais acima possível nestes resultados. Isto porque se sabe que as pessoas tendem a clicar mais nos resultados mais acima.

Mais cliques + mais visitas ao site

=

Maior possibilidade de potenciais Clientes comprarem

Espero ter ajudado a descomplicar um pouco o que é SEO e a sua importância. Veja a lista que elaborei para Mínimos Olímpicos de SEO, para ver o que pode fazer no seu website, para ter mais visibilidade.

Se tiver comentários ou dúvidas, é só deixar nos comentários ou enviar-me uma mensagem. Até já!